Saudades da minha terra

É estranho, mas parece que cada vez tenho mais saudades de viver na minha Santa terrinha… É estranho, porque não estou emigrada num país longínquo como a minha irmã ou outros amigos, ou sequer vivo a mais de 40 km deste pedaço de céu. Mas cada vez a vontade de voltar é maior.

A minha terra tem muitos defeitos para quem vive cá: não podes dar um peido sem que meia vila fique a saber. Se de manhã saio com uma camisola maior é porque tou grávida, se saio com uma mais justa é porque estou à caça. Sais à rua com pressa de ir ao talho e quando lá chegas já está fechado porque encontraste 300 pessoas na rua que queres dar 3 dedos de conversa antes de seguir caminho. Se sais à noite e bebes uns copos a mais já és uma cocaínada… apesar de nem sequer saberes como se corta uma linha. Se não sais, é porque já és uma parva e não queres saber dos teus amigos…

Isto tudo é muito chato, mas consegue ser compensado por todas as coisas maravilhosas: acordar de manhã e poder ver o mar, poder cheirar um ar puro misturado com maresia… sentir aquele frio nos ossos que sabe bem, nunca ter calor! Poder dormir no verão descansada enquanto os teus amigos lisboetas passam noites em branco com 40 graus! Ter praia todos os dias a 3 minutos a pé. Poder deixar o carro destrancado, o pão na porta, a porta aberta… não ter grades nas janelas… sair à rua sozinha e encontrar sempre companhia. Ter a família por perto… ter os amigos por perto, porque mesmo longe vêm sempre cá parar. Poder sentar me 2 horas na areia a olhar para o mar e não sentir que tive 2 horas sem fazer nada. As ondas… o barulho do mar… a calma.

Ericeira, quero te tanto de volta 💙

Anúncios

Dia sem sentido

Hoje é um dia sem sentido… um dia em que acordo e não sei muito bem o que quero nem sei bem se fico na cama ou se saio de casa.

E a roupa????? Sei lá se visto um top, um vestido de verão, umas chinelas ou uma camisola de lã de gola alta e umas botas de pêlo bem quentinhas…

É um daqueles dias em que não sei se quero almoçar uma salada ou um grande hambúrguer. Se quero uma mousse de chocolate ou uma gelatina de sementes de chia. Se quero um café duplo ou um descafeinado. Se vou correr ou fico no sofá… se amo conduzir ou se odeio todos os carros na ic19 a poluir o mundo!  

As coisas por norma, não fazem sentido. Alguém me explica porque é que, por exemplo, porque é que num país como Angola onde há tanta gente a morrer à fome existe o maior consumo per capita DO MUNDO de champanhe? (passei a semana em choque com este dado estatístico que ouvi num jornal qualquer que não era o CMTV). Porque é que no país supostamente mais evoluído do mundo existe como presidente a pessoa mais troglodita a governá-lo? (E não, Portugal não é o país mais evoluído do mundo nem o Costa é assim taaaaaaaão troglodita)

Se o mundo não faz sentido, então porque é que eu farei?

Vou comer um hambúrguer.

O peso da idade ou a idade do peso?

Descobri recentemente que tou a chegar aos 30. Quando digo isto, não é porque não saiba fazer contas, mas sim porque cheguei àquela fase onde para perder um quilo tenho de comer alface durante uma semana.

Nos últimos anos já fiz algumas daquelas dietas malucas: a dieta dos 30 dias, não comer hidratos, detox de açúcar, comer tudo, não comer… algumas resultam e depois volto a engordar, outras simplesmente são estupidas e deixam qualquer pessoa louca. A verdade é que acabo por voltar sempre para aqueles 10kg acima do peso ideal. Depois de algumas consultas em nutricionistas descobri que eu sou como um jogador de futebol: anos e anos a jogar intensivamente… quando a carreira acaba… PUFFFFF!!! Ao contrário do normal, não é o não comer que me emagrece, é a merda do exercício. Intenso. Horroroso. Porque o metabolismo parou, morreu, filho da p€&@.

Solução para emagrecer e ficar gostosa: mexe-te, sua gordalhontas!

Qual é o meu grande dilema? Na verdade, os únicos desportos que eu realmente amei na vida praticar foram dois: volei e surf. Praticar volei amador sem ser numa escola básica ou secundária é praticamente impossível. Não sou assim tão boa para ir para o Benfica. O surf, apesar da prancha estar em casa e ter o equipamento velhinho ainda funcional, foram muitos anos parada e tenho medo de voltar à água sozinha. Imaginem lá eu a entrar dentro de água, dar duas braçadas e ficar cansada, ser arrastada, levar com uma prancha na tromba por não ser local… Jassus!

Eu admiro aquelas pessoas que acordam às 7 da manhã para ir ao ginásio, as que saem de casa para ir correr 10km no parque da cidade… aquelas que adoram preparar-se para as mini-maratonas e para o bikini novo do verão 2017… mas eu não curto essa merda! Não dá! O único motivo que me faz levantar às 7 da manhã ou é a obrigação do trabalho ou é o xixi e volto para a cama!!!

Admiro de morte o meu esposo: 2 dias sem andar de bina e o mundo acaba. Até pode tar 2 anos sem sexo e tá tudo bem. Mas 2 dias sem bina e o homem já não dá para aturar. Anda há mais anos de bina que eu de vida… e adora. Ama! 

Ó Deus que jogas aos sims aí de cima!! Não podias ter me criado mais decidida da vida??? É que assim gorda para sempre não dá!!!